Marcelo Toniette - Psicologo, Psicoterapeuta e Terapeuta Sexual

 
ARTIGOS DÚVIDAS MÍDIA LIVROS

  MÍDIA
   Consultoria prestada a veículos de comunicação

 


Relacionamento em conflito: fique atenta aos sinais

Por Bianca de Souza (MBPress)
 

Quem mantém um relacionamento sabe que por mais amor e cumplicidade que haja é normal que instabilidades aconteçam. Porém, nada nasce do dia para a noite. Sinais antecipam que a tempestade está chegando.

Mas será que sabemos identificá-los? De qualquer forma é importante ressaltar que momentos de altos e baixos fazem parte de qualquer relacionamento e cabe ao casal extrair aprendizado dessas fases, a fim de fortalecer e reinventar a vida a dois.

Certamente você já sentiu ou ouviu falar que é muito mais fácil identificar os problemas na vida amorosa de outras pessoas. Mas que quando se trata do nosso relacionamento nem sempre eles são tão evidente. O psicólogo e psicoterapeuta Dr. Marcelo Toniette, explica o motivo.

"Uma a razão é quase sempre a negação de enxergar os limites e as dificuldades na relação. Isso somente intensifica a crise e distancia o casal de alcançar uma situação favorável para o relacionamento. O casal age como se estivesse tudo bem, mas existe uma série de entraves que funcionam como um campo minado", diz.

Outra característica de relacionamento em crise é a falta de elogios de um lado e a necessidade de recebê-lo de outro. O psicoterapeuta aponta que essa falta de reconhecimento pode ser indicativo de indiferença ou mesmo de hostilidade com a parceria.

Por outro lado, querer elogios a todo o momento pode significar carência afetiva. "O que vale como termômetro é a intensidade do ato de compartilhar - nos mais diferentes sentidos - de cada um dentro da relação, de forma a gerar gratificação, harmonia e equilíbrio", diz Toniette.

O desequilíbrio abre espaço para brigas e discussões e há quem defenda a importância delas. Mas qual será o limite? O psicólogo afirma que briga é ruim quando parte para a agressão física ou emocional. "As discussões são momentos em que o copo transborda, os limites se extrapolam, e torna-se necessário rever algumas coisas dentro da relação", sugere o especialista.

Equilíbrio entre sexo e afeto
E atenção ao sexo:
ele pode servir de termômetro amoroso. Dr. Marcelo acredita que a relação na cama é influenciada pela qualidade da vida afetiva. "É importante ter cuidado nessa associação, pois existem casais que afetivamente não vão bem, mas que sexualmente o saldo é positivo; e casais que afetivamente se dão bem, mas que o sexo não é tão bom", analisa.

Apesar de o sexo e o afeto poderem acontecer de forma isolada dentro de um relacionamento, sexo e vida afetiva estão relacionados. Se um ou outro não está indo bem, é hora de rever o estilo de vida adotado pelo casal.

Também é comum que em um relacionamento em crise um culpe o outro por suas frustrações. Para evitar que este tipo de coisa aconteça é essencial haver um bom diálogo. O psicoterapeuta explica: "Entende-se aqui que o ‘diálogo’ não é sinônimo de intermináveis ‘DR’s’, ou aborrecedores monólogos. Diálogo vem de dialogia, de interação entre parceiros de uma forma igualitária, no qual um fala e o outro escuta".

Muitos casais cometem o erro de achar que uma conversa boa é aquela em que se consegue convencer o companheiro, fazendo valer o seu ponto de vista. "Ledo engano que somente favorece o distanciamento do casal e o surgimento de crise", completa Toniette.

O especialista reforça que um relacionamento de sucesso é aquele no qual existe a negociação entre partes e que ambas se sentem acolhidas, amadas, desejadas e respeitadas. "A pessoa que opta viver as escolhas do outro pagará o preço de anular-se na relação", afirma o psicoterapeuta.
 

Fonte: Site Vila Mulher

---------------------------------------------
Consultor. In: SOUZA, Bianca. Relacionamento em conflito: fique atenta aos sinais. Vila Mulher.